20 de janeiro de 2012


O Secretário de Segurança, Luiz Fernandes, esteve reunido com representantes das lideranças militares para tentar um acordo e impedir a greve da categoria nesta quinta-feira (19).

Após mais de 10h de reunião, no Centro Integrado de Governo (CIG), a categoria aceitou as propostas apresentadas pelo governo, que concedeu reajustes que variam de 18% a 26% aos salários dos policiais militares.

A categoria chegou a se manifestar contrária a decisão do Governo e informou que a greve seria iniciada no início da noite de hoje (19), porém, eles permaneceram reunidos com o secretario de segurança, e a secretaria de administração Alice Viana, onde a decisão foi: como o Governo atendeu parte da pauta de exigências da categoria, a greve está suspensa.

O governo concedeu ainda intersídio de 5% para os praças, ganho de 70% sobre a gratificação de risco de vida e ganho real de 7%. Também ficou definida a permanência da mesa de negociação com a categoria, a fim de discutir outras reivindicações dos militares do Estado, como o prazo de implantação da jornada de trabalho para 40 horas semanais; o adicional de interiorização e o auxílio fardamento para cabos e soldados, além de mais 30% na gratificação por risco de vida.

Todas essas reivindicações serão discutidas na mesa de negociação, considerando sempre as condições financeiras do Estado.

O governo foi representando na negociação pela secretária de Estado de Administração, Alice Viana; pelo secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Daniel Mendes, e pelo comandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Hegésipo Donato.

Veja a tabela de aumento dos militares, por patente, de acordo com o novo aumento:
  • Soldado: de R$ 1.905,50 para R$ 2.253,20
  • Cabo: de R$ 2.021,52 para R$ 2.434,61
  • Terceiro Sargento: de R$ 2.168,94 para R$ 2.635,13
  • Segundo Sargento: de R$ 2.439,16 para R$ 2.952,14
  • Primeiro Sargento: de R$ 2.569,12 para R$ 3.107,75
  • Subtenente: de R$ 2.726,82 para R$ 3.344,39
Nem todos os policiais aceitaram esta negociação e alguns continuarão em greve
Mesmo a categoria aceitando a proposta do Governo apresentada nesta quinta-feira (19), no final da noite de hoje, um grupo isolado de policiais militares iniciaram um buzinaço pelas ruas da capital paraense informando que a greve está mantida. Cerca de 150 militares dizem que o objetivo do ato é mostrar que alguns batalhões estão com suas atividades completamente paradas.
'Eles venderam a tropa. Eles são uns traidores'. As frases foram ditas por vários dos que resolveram manter a greve. Eram os insatisfeitos com a decisão das lideranças ligadas às associações de PMS e bombeiros. Mostrando revolta, alguns ofenderam os líderes da categoria.

Segundo os manifestantes pelo menos cinco batalhões estão com as portas fechadas e eles dizem que não aceitaram a proposta apresentada pelo Governo e que não vão retornar ao serviço.
Fonte: Portal ORM 
Fotos: Agência Pará

O que você achou da postagem? Qual a sua opinião sobre este assunto?
Clique no botão CURTIR abaixo e receba nossas atualizações no seu Facebook
* Os comentários são de responsabilidade dos seus autores e podem não representar a opinião deste blog.

0 comentários :

Postar um comentário